Congregação Batista da Bênção

Café da ressurreição 2016
O SABOR DA COMUNHÃO Pr. Antonio Lopes

Na igreja deve-se viver o companheirismo, a vida em família. Para Pedro, a igreja encontra-se em peregrinação, caminhando para o lar celestial, e nessa caminhada é convidada a experimentar o sabor da comunhão. Comunhão significa que as pessoas sentem-se iguais diante de Deus e compartilham suas experiências, alegrias, vitórias e seus bens (Atos 2: 42-47). É um sinal evidente de uma melhor compreensão da graça e do amor de Deus.  Para o apóstolo João, comunhão consiste de fato os crentes participarem em comum da mente de Deus, e em Cristo receber as bênçãos decorrentes deste relacionamento.

O apóstolo João afirma que a nossa comunhão não é com as trevas, onde o pecado reina, mas com o Pai que habita na luz onde há vida, poder, graça e amor; João diz que a nossa comunhão é com o Filho de Deus, Jesus Cristo, e que esta comunhão mútua deve nos manter numa perfeita e íntima comunhão com os nossos irmãos, pois temos a mesma fé, confiança e esperança servindo ao mesmo Senhor.

O que é preciso fazer para desenvolver a comunhão na igreja, para que ela seja sempre mais acolhedora e permita que cada pessoa venha experimentar a comunhão uns com outros e com Deus?

1 – ANDAR NA LUZ. A evidência da nossa comunhão é andarmos na luz como Deus está na luz (1º João 1:5-7); quem diz estar na luz e não anda na luz é mentiroso porque verdadeiramente está nas trevas e não reconhece o seu pecado, afastando-se mais e mais da verdade. Um exemplo de comunhão com Deus é de Enoque(Gênesis. 5: 24), que andou com Deus, esteve em comunhão, e Deus o tomou para si e não mais esteve entre os homens. 2 – AMAR UNS AOS OUTROS. É preciso praticar o mesmo amor vivenciado por Jesus, que se humilhou ornando-se obediente até a morte, e morte de cruz, e padeceu para nos deixar o exemplo para que sigamos suas pisadas, “andar como ele andou”. O amor nos conduz ao serviço e a igreja se fortalece na comunhão, porque os fardos são repartidos. Ao experimentar a comunhão há uma doação, uma entrega em favor de alguém, sem esperar retribuição.

3 – PERDOAR UNS AOS OUTROS. O perdão deve ser uma prática constante na vida da igreja, pois não há comunhão sem perdão. Os erros devem ser perdoados na família de Deus, porque nós mesmos somos devedores perdoados por Deus em Jesus. Jesus é a própria origem  da graça do perdão, mas nunca ouviu de alguém: “Senhor perdoa-me”. Entretanto, Ele perdoou a muitos e o fez de uma maneira muito especial. Quando agimos assim, nós somos os maiores beneficiados, porque experimentamos o sabor da comunhão na igreja. A igreja será acolhedora, crescerá no relacionamento com a comunidade, será edificada no temor do Espírito Santo e o Senhor acrescentará todos os dias aqueles que vão sendo salvos por Jesus.  

Nossa campanha, 2016 O ANO DO AMIGO

Igreja Batista da Bênção

Share This