Doadores D’Alegria

Ministério Compromisso Adoração

Sobre o ministério

O Clown

“Uno no actúa un Clown, uno lo es” (Jacques Lecoq)

O clown é a exposição do ridículo e das fraquezas de cada um. O clown deve jogar o jogo da verdade, mais ele deverá ser ele mesmo. Quanto mais sua fraqueza for exposta, mais engraçado ele será. O clown faz tudo seriamente. Ele é a encarnação do trágico na vida cotidiana. É o homem assumindo sua humanidade e sua fraqueza por isso, tornando-se cômico. O clown apenas expõe o seu íntimo, as suas fraquezas, o seu lado poético e ridículo. Com o nariz vermelho (a menor máscara que existe) o clown esconde menos e revela mais. Por isso provoca a identificação e o riso, pois faz o homem rir de si mesmo.

É errado pensar que para merecer o nome de clown, é colocar um nariz vermelho e sapatos monstruosos. O nariz não é o fundamental. Para colocar o nariz deve-se esconder. O clown nunca tem nada preparado para dizer ele fala diretamente tem sempre perguntas e respostas “idiotas”, para isso precisa sentir que, se o público não está interessado em seu número, precisa mudar o jogo imediatamente, improvisar.

Clown de Hospital

Há uma diferença entre ser engraçado e ser divertido. Quando você é divertido estará compartilhando sua alegria. É a partilha da alegria que faz o trabalho de palhaço ser tão doce.

O Clown no Brasil

As organizações que atuam como clown pelo Brasil possuem características e formas de trabalhar bastante diferentes daquelas realizadas no exterior, desde a variedade de objetivos, missões, até as técnicas. A grande influência para os grupos foram as experiências de grupos como Clown Care Unit (Nova Iorque), Le Rire Médecin, os Doutores da Alegria e a divulgação do trabalho de Patch Adams, que ganhou grande repercussão a partir da publicação de seus livros e do filme “Patch Adams: O amor é contagioso”, dirigido por Tom Shadiac.

Como age o Clown de Hospital?

Trabalhar como clown de hospital é uma coisa muito séria. Não se trata somente de fazer rir mas tentar compreender o estado psicológico desses pacientes nesse momento e intervir para desviar sua atenção para um lugar onde possam recuperar sua alma infantil.

Forma de trabalho

O trabalho do clown no hospital tem que remeter a realidade que ele se encontra portanto diferente da atuação no circo, realizada para uma grande platéia, no ambiente hospitalar a relação que se desenvolve é muitas vezes para uma pessoa, em uma condição desfavorável e em um ambiente amedrontador.

“Para ser um bom palhaço de hospital não basta criar momentos de alegria, você tem que ser a alegria. É a alegria que vem do coração, é a alegria em movimento”

Não existe show, não existe o grande público.

  • É uma conexão humana
  • Um momento de cada vez
  • Um paciente de cada vez
  • Um coração de cada vez

Não é simplesmente fazer palhaçadas por fazê-las é ser cúmplice da dor dos pacientes e de seus familiares.

Receber a visita particular de um clown de hospital é uma experiência fantástica!

Um pouquinho de nozes =O)

Somos um ministério da Primeira Igreja Batista de Curitiba, mas nosso coração é de mãe.

Qualquer indivíduo/profissional pode participar da trupe desde que seja cristão e membro de uma igreja (Evangélica e Católica), pois o seu testemunho, amor e fé em Jesus Cristo é o motivo de um verdadeiro sorriso que perdure.

O ministério conta com 9 anos de experiência, passando por hospitais, lar de idosos, apresentações de rua e palco.

A trupe conta hoje com 29 pessoas sendo 14 pessoas fixas, 10 com participações esporádicas e 5 que estão se preparando para se tornar clowns ou que trabalham em outras áreas fora a visitação.

Como posso ser um clown?

Você já é um clown, só não sabe disso ainda =0]

Siga até o final dessa página e veja mais sobre como se tornar um clown!

 

“Ser Clown de hospital é uma oportunidade, pegar o pior momento da vida de uma pessoa e levar uma chance de mensagem de amor e isso é muito bonito, uma arte, um privilégio, um momento unico”

(Ana Beatriz Franciscone)

Bibi

“É muito mais do que ser simplesmente um artista, é ser uma pessoa que se importa, levando uma mensagem de amor, conforto e esperança, de uma forma mais descontraida.”

(Alexandre da Luz Lima)

Joca

” É um ministério de voluntariado, mas um voluntariado pra Deus, então fazemos nosso trabalho levando a alegria, sorriso e a palavra de Deus que é o mais gratificante.”

(Valdirene Lopes Ferreira)

Preta

“O que me fez escolher os Doadores D’Alegria é a motivação maior do grupo: levar o evangelho. Podemos brincar, cantar, como qualquer outro grupo de palhaço, entretanto temos uma missão especial, a obra que iniciamos com uma brincadeira não acaba quando saimos, mas a interação termina naquele momento que a obra de Deus começa, pois nosso trabalho é uma sementinha de amor, fé e esperança…”
(Wesley Salmazo)

Sal Amarg

“A sorriso foi uma das melhores coisas que aconteceu na minha vida. Para mim o clown de hospital é o compartilhar, ouvir, sentir, levar amor, alegria, uma palavra de conforto, estar presente para pessoas que a algum tempo já não sentem mais essas coisas.”

(Dayane Pereira Melo)

Sorriso

“Pra min ser Clown significa, ser a imagem que aguenta ser aquilo que o próximo precisa, se a pessoa precisa sorrir nós podemos fazer, se ela precisa de um abraço, nós podemos dar, se ela precisa desabafar nos podemos ouvir, se ela precisa crer que as coisas vão melhorar nos levamos a mensagem da salvação até ela… Enfim pra ser Clown é ser o que Deus manda que seus filhos sejam, ser aquele que se coloca a disposição para amar o próximo seja com o que ele precise.”

(Gesiel Alves David)

Estagiário

“Ser clown de hospital é buscar aquele brilho no olhar que, as dores e doenças, teimam em esconder”
Minha autoria
Ou esqueci de quem eu copiei

(Karla Meyer)

Ternurinha

Tempo para o próximo curso

Dia(s)

:

Hora(s)

:

Minuto(s)

:

Segundo(s)

Mais informações sobre o curso

Inscrição

Entre em contato conosco

2 + 9 =

Share This