O que tem alimentado o seu coração?

Não sei você, mas eu tenho o hábito de...

Não sei você, mas eu tenho o hábito de todo começo de ano separar um tempo para avaliar o meu ano anterior. Já se tornou uma espécie de rotina, e uma das formas que encontrei para fazer tal avaliação é manter um caderno de oração constantemente atualizado. Não há nada de sobrenatural neste caderno, apenas o consagrei ao Senhor como um espaço onde compartilharia anseios do coração através de palavras escritas. Esse ano não foi diferente, peguei meu caderno e enquanto lia os textos ali rabiscados, sentada no chão do meu quarto, percebi o quanto meu relacionamento com Deus havia mudado, e o mais triste é que a mudança havia sido para pior.

No início de 2017 vivi dias de muitas tribulações e nas mais diversas áreas da minha vida, principalmente a financeira. Foram dias onde me apeguei ao Senhor como nunca antes em dez anos de conversão. Orava dia e noite (1 Tessalonicenses 5:17), jejuava e separava momentos especiais para a leitura da Palavra de Deus. Tudo isso porque eu estava à espera do meu milagre. Nesse tempo, quando eu não tinha nada, compreendi que Deus era tudo o que eu precisava. Em seus braços eu encontrava sustento, consolo, amparo, afeto. Essa busca contínua me permitiu viver de forma intensa e prática a passagem bíblica de Mateus 6:6 “Mas quando orar, vá para o seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está no secreto. Então seu Pai, que vê no secreto te recompensará.” Lendo aqueles relatos, pude sentir através daquelas palavras o quanto eu amava estar naquele ambiente de relacionamento espontâneo e adoração genuína.

Mas agora, quase 365 dias depois, percebi que esse relacionamento que já fora irresistível, havia esfriado e a responsabilidade era toda minha. Nesse momento o Espírito Santo, o melhor consolador, começou a ministrar em meu coração, dizendo que assim como eu, muitos cristãos acabam se perdendo na caminhada cristã e tudo isso porquê invertem as prioridades em suas vidas. Mas a questão é: onde estamos nos perdendo?

Conversando com muitos chegados, ouvi inúmeras desculpas como: vida agitada, compromissos diários, afazeres domésticos, trabalhos para entregar, filhos pequenos. A lista de desculpas é tão extensa e nem cabe a mim tentar colocá-las todas aqui. Isso chateou tanto o meu coração, já que lembrava de mim mesma como uma menina que não tinha nada, mas era extremamente feliz, pois a minha alegria estava no Senhor (João 15:11). Hoje eu desfruto da colheita que semeei naquele tempo, mas já não vivo o mesmo relacionamento com Deus.

É tempo de colocarmos nossos corações em Deus, alinhando nossos projetos aos dEle. Muitas vezes pegamos pequenos desvios na rota, ou até mesmo atalhos que nos levam para longe de um relacionamento contínuo com Deus. Mas chegou o dia de voltarmos ao caminho correto e recalcular a rota que nos levará a um relacionamento profundo e verdadeiro com o Criador de todas as coisas.

Num primeiro momento é importante entendermos o que tem ocupado o espaço que pertence única e exclusivamente ao Senhor em nossas vidas. Séries? Mídias sociais? Relacionamentos? O que tem alimentado sua mente? Se o seu alimento diário não está sendo a bíblia, muito provavelmente o seu coração e os seus pensamentos estarão no lugar errado. É muito duro ler isso, eu sei. Mas o Senhor nos ama demais para permitir que permaneçamos da mesma forma.

Ciclos foram encerrados em 2017, para que 2018 pudesse chegar e ser vivido de forma plena. Com a chegada de um novo ano, surgem novas oportunidades para fazermos diferente o dia de hoje que resultará num amanhã diferente. Que tal colocarmos como meta principal para 2018 um relacionamento profundo e saudável com Deus? Tenho plena convicção que as demais áreas serão influenciadas de forma muito positiva. Quando o Senhor está no controle de todas as coisas o barco não afunda.

Juliana Reis

Jornalista Ministério de Comunicação

Share This