Não tenhas medo...

Alguém disse que corajoso não é aquele que não tem medo, mas aquele que enfrenta os muitos medos que tem.

Estas palavras que permeiam toda a Bíblia me fazem refletir sobre a importância de buscarmos um porto seguro, no qual a esperança e a confiança lançam fora todo o medo. Alguém disse que corajoso não é aquele que não tem medo, mas aquele que enfrenta os muitos medos que tem.

Medos são comuns em nossa vida: de chegar, de partir, andar de bicicleta, dirigir, medo de se expor, assumir novas funções, casar, ter filhos, medo de crer… O desconhecido nos assusta e, por isso, alguns escolhem viver vidas medíocres porque temem sair de seu pretenso conforto. Deixam-se levar pela vida, incapazes de sonhar e, assim, seguem a corrente, como um rio que percorre sempre os mesmos caminhos.

Moisés precisou enfrentar seu medo quando foi orientado por Deus a atravessar o mar vermelho (Êxodo 14.16). É inquestionável que ele sentiu medo, aquele que faz parte de nossa natureza humana, de preservação da espécie, que não nos deixa fazer coisas que põe em risco nossa integridade física e nossa segurança. Sim, creio que Moisés sentiu medo. Mas esforçou-se, colocou seu pensamento no Deus da promessa, naquele que o guiava em todos os momentos e teve bom ânimo: colocou os pés na água, muito embora, por dentro, estivesse vivenciando todas as reações físicas que qualquer ser humano sente diante dos desafios que enfrenta. Provavelmente a adrenalina começou a tomar conta de seu corpo, seu coração bateu forte, suas mãos tremiam e suavam… que situação difícil!

Moisés tinha intimidade com Deus e sabia que Ele estava no controle. Interessante notar que, diante das reclamações e inconsistência do povo, Moisés respondia com palavras de vitória. “Não temais: aquietai-vos e vede o livramento do Senhor que hoje vos fará; porque aos egípcios que hoje vedes, nunca mais tornareis a ver. O Senhor pelejará por vós, e vós vos calareis” (Êxodo 14.13 e 14). Neste texto encontra-se o segredo para vencer o medo: aquietar-se. Aquietar-se diante dos abismos e mares intransponíveis, silenciar diante das tormentas e esperar pelo livramento do Senhor. Para que isso ocorra é preciso ter intimidade com Deus, conhecê-lo, viver experiências nas quais ele provou que cuida de nós em todas as circunstâncias e nos ama. Sim, é preciso sentir-se muito amado para aquietar-se e deixar Deus no controle e que enfrente nossos inimigos. Que Ele nos dê forças para levantar e começar um novo dia.

Martha Zimermann de Morais

ABASC - Ministério de Ação Social

Share This