Por que nasci?

No dia em que aceitei Jesus com meu salvador algo se rompeu em mim...

Clarice Lispector escreveu um lindo texto sobre as razões de sua existência, afirmando que nasceu para amar os outros, escrever e criar seus filhos. Suas palavras me fizeram refletir sobre as razões da minha própria existência. Afinal, porque estou neste mundo? O que me move a cada dia, me faz levantar e seguir em frente?

No dia em que aceitei Jesus com meu salvador algo se rompeu em mim: tudo o que me amarrava foi solto e pude usufruir de uma liberdade da qual não estava acostumada. A razão da minha existência começou a delinear-se naquele dia e, como criança, eu não conseguia entender muito bem o que estava acontecendo. Só tinha a certeza de que podia correr para os braços do Pai.

A cada novo desafio, a cada encontro com Deus, podemos perceber que existimos por algum motivo. Não estamos caminhando por este mundo para nosso próprio deleite. Há um objetivo muito claro e que, se não o percebemos, acabamos por perder o melhor da nossa vida. Muitos passam por ela como autômatos, abrindo mão de viver intensamente. Vivem no passado ou esperam o futuro. No entanto, Deus nos dá o presente. Por isso, viver é uma aventura que nos leva a cada dia para mais perto dEle.

Sim, temos razões para existir. Mais amplas do que as enumeradas por Clarice. Vivemos para amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos. Estes são os maiores desafios do tempo presente, que nos ajudarão a prosseguir para o alvo.

“Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo”. Filipenses 3.13-14

Martha Zimermann de Morais

Ministério de Ação Social - ABASC

Share This